Futebol no Planeta

Grande jogos das semi finais da Champions League

Uma famosa exibição de Roy Keane, 4 gols de Robert Lewandowski e uma noite de recordes para Cristiano Ronaldo integram a retrospectiva sobre algumas semi-finais memoráveis.

Bayern 0-0 Ajax
Ajax 5-2 Bayern (total: 5-2)

1994/95

Um empate sem gols no primeiro jogo não deixava antever a emoção que se seguiu em Amesterdã, onde Jari Litmanen jogou demais, com George Finidi, Ronald de Boer e Marc Overmars marcando os restantes dos gols que garantiram à jovem equipe do Ajax a quinta presença do clube em finais da Taça dos Campeões. Marcel Witeczek e Mehmet Scholl marcaram para os visitantes, então orientados por Giovanni Trapattoni.

FC Dynamo Kyiv 3-3 FC Bayern München
Bayern 1-0 Dynamo (total: 4-3)

1998/99

Um jovem de 22 anos, de nome Andriy Shevchenko, apareceu, e o reemergente Dínamo Kiev de Valeriy Lobanovskiy chegou a estar ganhando por 3-1, mas o Bayern marcou por duas vezes nos últimos 12 minutos e um gol de Mario Basler no segundo jogo ditou definitivamente o desfecho da eliminatória a favor dos homens de Munique. “Quando estávamos ganhando por 3-1 tivemos oportunidades para marcar o quarto e o quinto gol”, recorda Serhiy Rebrov. “Já passaram tantos anos e não consigo deixar de pensar que podíamos e merecíamos ter vencido essa edição da Champions League”.

Man. United 1-1 Juventus 
Juventus 2-3 Man. United (total: 3-4)

1998/99

Com a Juventus em vantagem na eliminatória, por 3-1, aos 11 minutos do segundo jogo, o United reagiu e Roy Keane marcou de cabeça após escanteio cobrado por David Beckham, antes de Dwight Yorke e Andrew Cole (este de penalti) virarem por completo a eliminatória. “Foi a atuação mais altruísta que alguma vez vi num campo de futebol”, disse Sir Alex Ferguson sobre Keane, que viu durante o encontro um cartão amarelo que significava a sua ausência da final.

Valência 4-1 Barcelona 
Barcelona 2-1 Valência (total: 3-5) 

1999/2000

Em grande forma jogando em casa na sua temporada de estreia na UEFA Champions League, a formação orientada por Héctor Cúper esmagou o Barcelona no primeiro jogo, num jogo em que Miguel Ángel Angulo foi destaque. Gaizka Mendieta, marcou aos 69 minutos do segundo jogo, colocando a eliminatória em 5-1, antes da ténue reação da turma catalã, que ainda venceu o jogo mas não evitou a eliminação. “Surpreendemos a todos”, resumiu Cúper, ainda que não tenham havido, depois, surpresas na final, frente a outra equipa espanhola, o Real Madrid.

Barcelona 0-2 Real Madrid 
Real Madrid 1-1 Barcelona (total: 3-1)

O Real, mesmo privado do castigado Luís Figo, conseguiu uma vitória por 2-0 em casa de um Barcelona que há 19 anos não perdia em casa diante do arqui-rival. Zinédine Zidane e Steve McManaman marcaram os gols. A eliminatória ficou sentenciada ao intervalo do segundo jogo, depois de Raúl González ter colocado os “merengues” em vantagem também no segundo jogo. “Quero destacar a atitude do Barcelona, que foi fantástica”, disse Vicente del Bosque, treinador do Real, depois de ter visto o adversário mandar no segundo jogo. “Mas as nossas individualidades, especialmente Raúl, foram cruciais.”

Real Madrid 2-1 Juventus 
Juventus 3-1 Real Madrid (total: 4-3)

2002/03

De volta a um estádio que tão bem conhecia para o segundo jogo, Zidane viu-se ofuscado pelo compatriota David Trezeguet e por Alessandro Del Piero, que fizeram a Juve vencer por 2-0 no Stadio delle Alpi, com Gianluigi Buffon defendendo um penalti de Figo antes de Pavel Nedved dissipar as dúvidas com o 3-0. Um tento tardio de Zidane serviu de mera consolação. Infelizmente para Nedvěd, um cartão amarelo aos 82 minutos excluiu-o da final. “Estou muito triste por isso”, disse o checo.

AC Milan 2-0 PSV 
PSV 3-1 AC Milan (total: 3-3, Milan classificado graças aos gols fora)

2004/05

Doze meses após ter sucumbido ante a épica recuperação protagonizada pelo Deportivo La Coruña, o PSV quase reavivou esse pesadelo para os “rossoneri”, que se viram perdendo por 2-0 em Eindhoven, antes de Massimo Ambrosini marcar, já nos acréscimos. Ainda houve tempo para Philip Cocu fazer o 3-1. “O PSV dominou o jogo durante quase 90 minutos, e não é assim que devemos jogar”, reconheceu o defesa do Milan, Jaap Stam.

Dortmund 4-1 Madrid
Madrid 2-0 Dortmund (total: 3-4)

2012/13

Dito de forma simples, esta eliminatória resumiu-se a um jogador: Robert Lewandowski. Os quatro gols de Robert Lewandowski, recorde em semi-finais, relegaram para segundo plano o 50º golo de Cristiano Ronaldo na competição. “Dei um abraço em todos os meus jogadores, pois mereceram-no por tudo o que fizeram”, disse entusiasmado o treinador do Dortmund, Jürgen Klopp. “Esta noite assistimos um futebol no seu estado mais puro, os meus jogadores estiveram imparáveis.” No segundo jogo, o Real, na época orientado por José Mourinho, ainda chegou aos 2-0, graças a gols tardios de Karim Benzema e Sergio Ramos, mas não se classificou. “Estivemos perto”, disse o técnico português.

Real Madrid 1-0 Bayern
Bayern 0-4 Real Madrid (total: 0-5)

2013/14

Uma vitória pela margem mínima do Real no primeiro jogo deixava antever um segundo jogo equilibrado, mas o resultado acabou por a mais pesada derrota do Bayern em casa na UEFA, com Ronaldo a quebrando mais um recorde na competição, com os seus gols 15 e 16 nessa edição. “Esta equipe nunca para de me surpreender e esta noite esteve mesmo muito bem,” salientou Carlo Ancelotti, então treinador dos madrilenos.

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

shop giay nuthoi trang f5Responsive WordPress Themenha cap 4 nong thongiay cao gotgiay nu 2015mau biet thu deptoc dephouse beautiful