Futebol no Planeta

Sucessor de Kahn não vingou no Bayern, recusou Leicester e se deu mal

Ele teve uma das missões mais desafiadoras que um goleiro já pôde ter no futebol: substituir Oliver Kahn como novo titular do Bayern de Munique. Depois de um ano, porém, perdeu a posição e viu sua promissora carreira caminhar por outros caminhos, mas nenhum deles tão expressivo quanto o posto que teve na equipe bávara.

Esta é a trajetória de Michael Rensing, que hoje, aos 32 anos, tenta levar o Fortuna Düsseldorf à primeira divisão do Campeonato Alemão. O agora veterano jogador está desde 2013 no clube, que atualmente ocupa a quinta colocação da segunda divisão, cinco pontos atrás do líder Eintracht Braunschweig.

Rensing tornou-se profissional pelo Bayern, no qual chegou em 2000 aos 16 anos, após passagem pelo modesto TuS Lingen. Depois de ter integrado os times de base, ele subiu aos profissionais e fez sua estreia em 21 de fevereiro de 2004, quando o time bávaro venceu o Hamburgo por 1 a 0, pela Bundesliga.

Desde então, ele só se consolidava cada vez mais como o futuro substituto de Oliver Kahn. Em cinco temporada, Rensing jogou apenas 27 partidas pela equipe principal do Bayern, mas aproveitou o período para aprender com uma lenda e se preparar para sua oportunidade. E ela viria na temporada 2008-09.

Depois da aposentadoria do ex-goleiro da seleção alemã, o seu substituto, então com 24 anos, virou o novo dono da meta bávara e com direito à camisa 1. Ele jogou a temporada inteira, só perdendo os últimos jogos da Bundesliga devido a uma lesão.

Com algumas falhas, ele foi criticado com pouco mais de um mês de temporada depois de derrota por 5 a 2 para o Werder Bremen e acabou defendido pelo seu antecessor. “Sempre disse o mesmo. Quando se forma um jovem jogador, temos de ter em conta que, por vezes, ele vai falhar. Por isso será fatal colocar o lugar dele em dúvidas”, afirmara Kahn. “A minha primeira época foi um desastre. Nem sempre as coisas correm como esperamos, bem pelo contrário.”

Rensing, em ação pelo Bayern em 2009

Rensing, em ação pelo Bayern em 2009

Já na temporada seguinte, o camisa 1 atuou nas três primeiras partidas e, depois de ter falhado no primeiro gol na derrota por 2 a 1 para o Mainz no Alemão, perdeu o posto de titular para o veterano Hans Jörg-Butt, que fora contratado em 2008. Rensing disputou dez partidas em 2009-10 e não teve seu contrato renovado ao fim daquela campanha.

Dois anos após ter alcançado o posto de titular do Bayern, o goleiro estava sem clube e ficou nesta condição até o fim de 2010. Ele até poderia ter acertado em novembro um teste no Leicester, mas recusou o clube que na época estava na segunda divisão inglesa, como noticiou a revista alemã Focus à época.

No mês seguinte, acertou com o Colônia, pelo qual seria titular por um ano e meio, até se transferir sem custos para o Bayer Leverkusen. Depois de ter sido reserva de Bernd Leno por uma temporada, ele foi de graça ao Fortuna Düsseldorf.

Reserva em 2013-14, o herdeiro de Kahn assumiu a titularidade absoluta, não perdeu mais o posto e já está em sua terceira temporada nesta condição. Em 2015-16, foi eleito pela revista Kicker o segundo melhor arqueiro da 2. Bundesliga.

Michael Rensing pode não ter alcançado que se esperava no começo de sua carreira, mas, enfim, está consolidado como titular e referência na equipe que defende.

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

shop giay nuthoi trang f5Responsive WordPress Themenha cap 4 nong thongiay cao gotgiay nu 2015mau biet thu deptoc dephouse beautiful